terça-feira, 23 de maio de 2017

PCCR É VOTADO NA BASE DA REPRESSÃO POLICIAL, MAS A NOSSA CATEGORIA NÃO SE INTIMIDOU!

   

    A tramitação do PCCR na Câmara dos Vereadores enviado pelo Governo Tião Miranda (PTB) iniciou com um debate amplo, mas no decorrer dos dias começou a sofrer golpes e manobras na casa legislativa, a exemplo da aceleração do PCCR, com uma única comissão que definiria um só parecer sem mais debates sobre a matéria.

    Apesar das falsas informações do andamento da sessão de hoje, vale ressaltar que os ânimos estavam acirrados e foi defendido a suspensão da sessão pela vereadora Irismar, pois a Presidência da Casa Legislativa junto ao Executivo solicitou reforço da segurança por duas vezes, com a presença da Polícia Militar e da categoria da Guarda Municipal, sendo que mais tarde, chegou um ônibus lotado com os policiais do Tático, para manterem a votação de 1 turno de uma só vez! Um verdadeiro absurdo e desrespeito aos professores, uma vez que os policiais e a guarda municipal deveriam estar nas ruas combatendo a criminalidade e mantendo a segurança das escolas que continuam sendo assaltadas!


   Não há categoria no mundo que assista de camarote a retirada de seus direitos conquistados ao longo da história de braços cruzados com aplausos aos algozes! Portanto, a manifestação da nossa categoria em inviabilizar a votação foi em defesa dos nossos direitos adquiridos como expressa a Constituição Federal. O grande problema foi a repressão ditatorial e os seguranças da casa que tentaram impedir a livre manifestação da nossa categoria!


   Os vereadores de oposição, Irismar Melo ( PR), Ilker Moraes (PHS), Pastor Ronisteu (PTB) e Marcelo Alves (PT), foram  aguerridos na defesa da categoria, desde o início dos debates sobre o PCCR e continuaram na defesa hoje na tribuna denunciando os desmandos do Governo Tião Miranda (PTB) e da Presidência da Casa. Foram saudados, aplaudidos pela categoria e participaram da nossa Assembleia Geral que deflagrou a Greve Geral na Educação!

   A luta está apenas começando e vamos nos manter firmes na construção de nossa greve com o sentimento que não estamos tirando nada de ninguém, mas apenas lutando pelo que de direito expresso nas leis, é nosso!

Acompanhe agora os pequenos avanços do nosso PCCR:
  1. Vencimento Básico de todos os professores como nível superior com o Piso + 50% incorporado no vencimento.
  2. Gratificação do Apoio de 10% mantida.
  3. Manutenção da antiga Vantagem Pessoal - VP.
  4. Mudança dos textos do termo gratificação para adicional.]
  5. Diferenciação dos percentuais para os enquadrados e para os futuros professores que irão requerer sua promoção.
  6. Manutenção do nível superior, conforme a Lei Orgânica de 50%.
  7. Garantia dos Adicionais de qualificação.
  8. Clareza e manutenção do Adicional de Promoção Horizontal.
  9.  Supressão dos 20% de nível superior. 
Acompanhe os retrocessos sem avanços:
  1.  Perdas que variam até 3.600,00 da carreira.
  2. O projeto não criou a nova Vantagem Pessoal para assegurar as perdas.
  3. Retira a gratificação de regência que varia de 700,00 a 800,00 reais e não inclui a Hora atividade.
  4. Reduz a gratificação dos diretores.
  5. Reduz as gratificações de titularidade: Especialização: 15%, Mestrado 20% e Doutorado 30%.
  6. Não acumula os adicionais de nível superior e especialização quando sair a ADI.
  7. Atrela a licença para estudos à obtenção de promoção de especialização, mestrado e doutorado.
  8. Reduz a gratificação dos professores do Modular da Zona rural com uma perda de mais de 1.200,00 sem contar com a desindexação.

Amanhã, 24/05 Ato Público na Velha Marabá em defesa da Educação, a partir das 8:00h! Vamos nos manter firmes nessa guerra que ainda não acabou!

A COORDENAÇÃO

ATO PÚBLICO DIA 24


APROVADO O PCCR COM CORTE NOS SALÁRIOS DOS TRABALHADORES


COMUNICADO À PREFEITURA DA GREVE GERAL


quarta-feira, 17 de maio de 2017

MOBILIZAÇÃO DAS ESCOLAS PARA CONSTRUIR A GREVE GERAL!


    A nossa última Assembleia Geral deliberou pela construção do nosso movimento por entender que não houve avanços até o momento com o Governo Tião Miranda e sequer, o mesmo não apresentou nenhuma proposta para o Pagamento do Piso do Magistério de 2017, Reajuste do nível Médio com Data-Base de Maio e o pagamento dos atrasados.

   Portanto, as escolas devem se organizar para debater os problemas reais que estamos enfrentando na educação nos dia 17,18 e 19, com reuniões no final do expediente com a equipe dos funcionários para avaliar em conjunto na escola e no dia 19/05 a disposição de nossa categoria para organizarmos nossa Greve Geral na Educação. 

    Observando que nos dias 17,18 e 19 a aula será normal nas escolas imbuído do sentimento de construção do movimento!

   #MOBILIZAÇÃO JÁ! PELA CONSTRUÇÃO DA GREVE NA EDUCAÇÃO!!

A COORDENAÇÃO