sábado, 22 de novembro de 2014

ESTOU EDITANDO ESSA PÁGINA POR FAVOR AGUARDEM

ESTOU EDITANDO ESSA PÁGINA POR FAVOR AGUARDEM

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Mais uma vez convocamos nossa categoria para debatermos assuntos de nosso interesse

Caros Companheiros, 

Conforme divulgamos em postagem anterior, a coordenação do Sintepp reuniu-se com o Conselho Municipal de Educação para debatermos sobre a implementação da hora atividade na rede municipal de ensino já a partir de janeiro de 2015, conforme acordado com a Secretaria Municipal de Educação. Acordo esse, fruto de nossa greve no início desse ano. 
A reunião aconteceu na tarde de ontem, dia 19/11, na sala de reunião do Sintepp. Após longo debate, houve consenso em uma proposta única a ser apresentada na reunião da Comissão que acontecerá amanhã, às 14 horas na Semed. 
Esperamos haver tranquilidade por parte da secretaria de educação em aceitar a proposta que apresentaremos, uma vez que se trata do caminho mais racional para se implementar esse direito. 
É bom lembrar aos companheiros que a Lei de criação do Piso Nacional e demais provimentos legais estabelecem que a jornada de trabalho do professor deve ser dividida da seguinte forma: dois terços em efetivo trabalho com o aluno e um terço como hora atividade. Todavia, a lei não diz como fazer isso na prática. Levando em conta que um terço de 100, por exemplo, é 33,33. Uma turma de língua portuguesa soma-se 25 horas, duas turmas dão 50 horas, esse complicador é gerado em todas as disciplinas. É preciso, portanto, fazer uma readequação curricular e de horários para que possibilite a lotação do professor garantindo-lhe a hora atividade. 

A proposta que formulamos é para garantir esse direito a todos os professores da educação infantil ao EJA, da Zona Urbana e Zona Rural. Estamos prontos para ouvirmos a contraproposta da Semed se houver. O resultado dessa reunião apresentaremos aos companheiros na Assembleia Geral de segunda-feira, dia 24/11, a partir das 16 horas, no auditório da EMEF José Mendonça Vergulino; durante a qual estaremos tratando também de outros assuntos de interesse da categoria. Portanto, pedimos o comparecimento de todos os nossos companheiros para analisarmos e decidirmos juntos os rumos de nossa luta.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Sintepp convoca nova Assembleia da categoria!


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA HORA ATIVIDADE NA REDE MUNICIPAL


Em reunião da Comissão de Gestão do Plano de Carreira ,17/11, houve apresentação de três proposta para implementação da hora atividade: da Semed, do CME e do Sintepp. Não houve consenso, próxima reunião será sexta-feira, 23/11. Quarta-feira, (19), Sintepp e CME se reunirão para tirar proposta comum. 


Aconteceu nessa segunda-feira, (17), mais uma reunião da Comissão de Gestão do PCCR. Essa comissão, responsável por fazer os debates sobre a implementação da jornada do professor garantindo a hora atividade, é composta por representantes dos vários segmentos da educação, entre eles o Sintepp o Conselho Municipal de Educação. 
A proposta inicial aprovada em assembleia, que aconteceu no mês de agosto no auditório da EMEF José Mendonça Vergulino, de implementar o sistema de jornada, no qual cada servidor só poderia trabalhar numa rede por turno, com jornada de 100 por turno e no máximo 200 em dois turnos, está sendo rediscutida pela comissão. 
Na reunião de hoje, foi apresentada pela equipe da secretaria de educação uma proposta de mudança curricular para tornar possível a implementação da hora atividade. O CME também apresentou proposta para implementação desse direito com alteração curricular. O Sintepp, representado na comissão pelos coordenadores Wendel Bezerra, Lucimar Tavares e Aurismar Queiroz, ver vários pontos em comum entre a proposta defendida pelo sindicato e aquela apresentada pelo CME, todavia alguns pontos precisam ser discutidos. A ideia é tirar uma proposta que seja consenso entre Sintepp e CME. Para isso ficou marcada uma reunião no Conselho na próxima quarta-feira. A Comissão se reunirá na próxima sexta-feira, dia 21 para chegar a uma proposta final que será apresentada para a categoria em assembleia geral que deverá ser marcada para segunda-feira, dia 23/11.
O Sintepp defenderá aquela proposta que for melhor para a categoria, não tomaremos nenhuma decisão sem antes ouvir nossos companheiros interessados. Defendemos que a hora atividade deva ser igual para toda a rede do 1º ao 9º ano. Dessa forma esperamos contar com a presença em massa dos companheiros na assembleia geral que marcaremos.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Resultado de Reunião solicitada pelo SINTEPP com a SEMED!



SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará
SUBSEDE DE MARABÁ

Reunião da Coordenação do SINTEPP
com equipe de gestão da Secretaria de Educação
(06/11/2014)

Caros filiados,

Durante a reunião discutimos 05 pautas: 01. Progressões; 0 2. Hora-atividade; 03. Plano Unimed; 04. Gestão das Escolas e 05. Calendários de Pagamentos.

1. Sobre as progressões, a equipe da SEMED informou que reconhece o direito automático dos servidores de receberem as suas progressões. Mas adiantou que decidiram pagar apenas em janeiro de 2015 para não por em riso o pagamento do Décimo terceiro salário. Informaram ainda que não há qualquer possibilidade de parcelamento do décimo terceiro ou do salário de dezembro. Segundo eles, algumas pessoas de caráter duvidoso, ao invés de trabalhar, passam o tempo todo plantando falsas informações dentro das escolas, estabelecendo uma cultura do pânico dentro do sistema educacional. Conseguimos garantir durante a reunião, que todas as progressões do Nível Médio para o Superior (NEI para NI) serão pagas agora no mês de novembro;

2. Sobre a Hora-atividade, a equipe da SEMED lamentou o problema criado durante a implantação da hora-atividade nas escolas de 1º ao 5º ano, mas disseram que dialogaram com as escolas e esclareceram que a partir de 2015, a hora-atividade será implementada conforme acordada. A SEMED tentou criar uma Comissão Paralela a Comissão de Gestão do PCCR para discutir a hora-atividade dos demais seguimentos, mas a partir da intervenção do SINTEPP, foi garantido que a Comissão de Gestão do PCCR aprovará as propostas de implementação da Hora-atividade a partir de 2015 para todos os seguimentos, EJA, Educ. Infantil e fundamental de 6º ao 9º, tudo conforme já acordado com a categoria.

3. Sobre o Plano Unimed, foi criada uma equipe com 02 representantes do SINTEPP e 02 da SEMED para participar de reunião com Gerência da Unimed Belém, Imperatriz e Fortaleza. Durante a reunião vamos apresentar a quantidade de vidas atendidas pela Unimed Sul do Pará e solicitar uma proposta de Substituição da Unimed Sul do Pará mantendo as carências;

4. Sobre a Gestão das Escolas, durante a reunião o SINTEPP argumentou que a SEMED precisa dialogar mais com a direção das escolas, determinando em comum acordo a autonomia de cada escola e os limites legais. Deixamos claro ao Secretário que não vamos tolerar ameaças contra os diretores e contra os demais servidores da escola. Segundo a SEMED, o calendário letivo é uma garantia do aluno e as escolas precisam cumprir. Segundo o secretário de educação, o Ministério Público está pressionando a SEMED porque está havendo uma verdadeira chuva de denúncias contra escolas que não estão cumprindo o calendário. O Secretário nós entregou uma cópia do último documento encaminhado pelo MPE exigindo a FISCALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO ESCOLAR;

5. Sobre o pagamento dos servidores da educação, a SEMED informou que nos últimos meses uma série de direitos foram assegurados, tais como: Aumento por tempo de serviço, Promoção Horizontal, e Progressões Verticais. A garantia desses direitos, segundo a SEMED, elevou bastante a folha de pagamento. Segundo o Secretário, o valor da folha hoje passa dos R$ 11 milhões enquanto que os repasses mensais do FUNDEB estão na casa dos R$ 10 milhões.  Segundo o Secretário, apesar da data limite ser o dia 10 do mês subsequente, eles vão continuar fazendo o esforço possível para pagar antes do dia 05 de cada mês. O Secretário ratificou que está descartada a possibilidade de parcelamento e que os pagamentos por parte da categoria, a exemplo do que aconteceu no mês de outubro, foi uma forma que eles encontraram para iniciar o pagamento com os recursos que já estavam disponíveis da conta do FUNDEB.

Caros filiados, mais uma vez queremos ratificar a importância do nosso Conselho Municipal de Representantes do SINTEPP por Escola. Nos últimos meses, a participação tem diminuído bastante e isso levou a Coordenação do SINTEPP a optar apenas pelas Assembleias. Por ser uma reunião que permite a participação de todos os servidores, a Assembleia não pode ser realizada periodicamente, pois isso pode resultar em problemas para as escolas. Neste sentido, pedimos a todos que reforcem em suas escolas a necessidade e importância deste Conselho para manter a escola informada, evitando assim a disseminação de boatos que em nada fortalecem a nossa categoria. Durante a HP – Hora Pedagógica, informamos que a nossa esquipe do SINTEPP está a disposição para participar contribuindo na FORMAÇÃO dos nossos servidores, basta ligar e agendar na Secretaria do SINTEPP.  


A Coordenação

Resultado de reunião do SINTEPP com a SEMED!

SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará
SUBSEDE DE MARABÁ

Reunião da Coordenação do SINTEPP
com equipe de gestão da Secretaria de Educação
(06/11/2014)

Caros filiados,

Durante a reunião discutimos 05 pautas: 01. Progressões; 0 2. Hora-atividade; 03. Plano Unimed; 04. Gestão das Escolas e 05. Calendários de Pagamentos.

1. Sobre as progressões, a equipe da SEMED informou que reconhece o direito automático dos servidores de receberem as suas progressões. Mas adiantou que decidiram pagar apenas em janeiro de 2015 para não por em riso o pagamento do Décimo terceiro salário. Informaram ainda que não há qualquer possibilidade de parcelamento do décimo terceiro ou do salário de dezembro. Segundo eles, algumas pessoas de caráter duvidoso, ao invés de trabalhar, passam o tempo todo plantando falsas informações dentro das escolas, estabelecendo uma cultura do pânico dentro do sistema educacional. Conseguimos garantir durante a reunião, que todas as progressões do Nível Médio para o Superior (NEI para NI) serão pagas agora no mês de novembro;

2. Sobre a Hora-atividade, a equipe da SEMED lamentou o problema criado durante a implantação da hora-atividade nas escolas de 1º ao 5º ano, mas disseram que dialogaram com as escolas e esclareceram que a partir de 2015, a hora-atividade será implementada conforme acordada. A SEMED tentou criar uma Comissão Paralela a Comissão de Gestão do PCCR para discutir a hora-atividade dos demais seguimentos, mas a partir da intervenção do SINTEPP, foi garantido que a Comissão de Gestão do PCCR aprovará as propostas de implementação da Hora-atividade a partir de 2015 para todos os seguimentos, EJA, Educ. Infantil e fundamental de 6º ao 9º, tudo conforme já acordado com a categoria.

3. Sobre o Plano Unimed, foi criada uma equipe com 02 representantes do SINTEPP e 02 da SEMED para participar de reunião com Gerência da Unimed Belém, Imperatriz e Fortaleza. Durante a reunião vamos apresentar a quantidade de vidas atendidas pela Unimed Sul do Pará e solicitar uma proposta de Substituição da Unimed Sul do Pará mantendo as carências;

4. Sobre a Gestão das Escolas, durante a reunião o SINTEPP argumentou que a SEMED precisa dialogar mais com a direção das escolas, determinando em comum acordo a autonomia de cada escola e os limites legais. Deixamos claro ao Secretário que não vamos tolerar ameaças contra os diretores e contra os demais servidores da escola. Segundo a SEMED, o calendário letivo é uma garantia do aluno e as escolas precisam cumprir. Segundo o secretário de educação, o Ministério Público está pressionando a SEMED porque está havendo uma verdadeira chuva de denúncias contra escolas que não estão cumprindo o calendário. O Secretário nós entregou uma cópia do último documento encaminhado pelo MPE exigindo a FISCALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO ESCOLAR;

5. Sobre o pagamento dos servidores da educação, a SEMED informou que nos últimos meses uma série de direitos foram assegurados, tais como: Aumento por tempo de serviço, Promoção Horizontal, e Progressões Verticais. A garantia desses direitos, segundo a SEMED, elevou bastante a folha de pagamento. Segundo o Secretário, o valor da folha hoje passa dos R$ 11 milhões enquanto que os repasses mensais do FUNDEB estão na casa dos R$ 10 milhões.  Segundo o Secretário, apesar da data limite ser o dia 10 do mês subsequente, eles vão continuar fazendo o esforço possível para pagar antes do dia 05 de cada mês. O Secretário ratificou que está descartada a possibilidade de parcelamento e que os pagamentos por parte da categoria, a exemplo do que aconteceu no mês de outubro, foi uma forma que eles encontraram para iniciar o pagamento com os recursos que já estavam disponíveis da conta do FUNDEB.

Caros filiados, mais uma vez queremos ratificar a importância do nosso Conselho Municipal de Representantes do SINTEPP por Escola. Nos últimos meses, a participação tem diminuído bastante e isso levou a Coordenação do SINTEPP a optar apenas pelas Assembleias. Por ser uma reunião que permite a participação de todos os servidores, a Assembleia não pode ser realizada periodicamente, pois isso pode resultar em problemas para as escolas. Neste sentido, pedimos a todos que reforcem em suas escolas a necessidade e importância deste Conselho para manter a escola informada, evitando assim a disseminação de boatos que em nada fortalecem a nossa categoria. Durante a HP – Hora Pedagógica, informamos que a nossa esquipe do SINTEPP está a disposição para participar contribuindo na FORMAÇÃO dos nossos servidores, basta ligar e agendar na Secretaria do SINTEPP.  


A Coordenação

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

SINTEPP PÚBLICA NOTA CONTRA POSTURA AUTORITÁRIA NAS ESCOLAS



SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará
SUBSEDE DE MARABÁ


Marabá-PA, 05 de novembro de 2014. 


NOTA DO SINTEPP EM REPÚDIO A RESPONSABILIZAÇÃO E A CRIMINALIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO


Nós últimos meses temos recebido uma série de queixas dos nossos profissionais do magistério dando conta de que estão sendo assediados, criminalizados e responsabilizados por todos os problemas e mazelas da educação pública do município de Marabá por parte da Secretaria Municipal de Educação.
Precisamos deixar claro que pensamos exatamente ao contrário. Nós professores temos um papel fundamental na vida e na formação dos nossos alunos. Porém, defendemos a tese de que não somos os únicos. “Todos são responsáveis pela educação de nossos estudantes”. A sociedade, os pais os professores e as autoridades políticas e educacionais somos todos coautores desse processo de formação dos nossos cidadãos.
O Secretário de Educação precisa convencer a nossa categoria a se doar ainda mais, já que o sistema municipal de educação e a sociedade não estão sendo capazes de cumprir com a sua responsabilidade.
Os alunos têm pouco acompanhamento familiar e a maioria das escolas estão em condições precárias! Tentar obrigar os professores e demais profissionais do magistério a assumirem todas as responsabilidades neste processo é, ao nosso ver, uma postura distanciada da realidade e prática de quem pouco conhece a verdadeira realidade da educação pública em todo o nosso país.
Avisamos ao Secretário e a todos os técnicos em educação lotados na SEMED que estamos dispostos a fazer o bom debate com toda a nossa categoria no sentido de ajudarmos mais ainda a melhorar os índices cobrados pelo Sistema Educacional de nosso país, que tanto se apega a números, mas muito pouco faz na prática para melhorar a educação pública de nosso país.
Mas avisamos também que estamos com uma disposição ainda maior de combater toda e qualquer forma de abuso, assédio, ameaça e/ou tentativa de criminalização dos trabalhadores e trabalhadores em educação.
Nossos gestores de unidade escolar aceitaram o desafio de participar do processo de democratização do espaço escolar. Foram eleitos pela comunidade. Mas isso não significa que agora são responsáveis por todos os problemas da escola. O calendário escolar, foco dos últimos problemas, deve e é discutido em todas as escolas, mas isso não significa que depois de aprovado não possa ser alterado. Desrespeito seria não cumprir os 200 dias letivos assegurados em Lei. Precisamos fortalecer a autonomia das escolas, do contrário, não precisaremos construir a tão sonhada Gestão Democrática. Essa briga por poder dentro da educação em nada contribui para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem. Sabemos que a autonomia dos nossos diretores e da escola tem um limite, mas esses limites precisam ser debatidos e aprovados em comum acordo entre a escola, comunidade escolar e Secretaria Municipal de Educação.


A Coordenação



terça-feira, 4 de novembro de 2014



segunda-feira, 3 de novembro de 2014

SINTEPP MARABÁ NÃO PARTICIPARÁ DO XXI CONGRESSO ESTADUAL DO SINTEPP



SINTEPP – SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARÁ
SUBSEDE DE MARABÁ


NOTA DE ESCLARECIMENTO AOS CONGRESSISTAS DO XXI CONGRESSO ESTADUAL DO SINTEPP E A TODOS OS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DO ESTADO DO PARÁ


Neste mês de novembro, mas especificamente no período do dia 27 a 29, será realizado o nosso XXI Congresso Estadual. Durante o mesmo deveríamos discutir além de um monte de assuntos que pouco ou nada contribuem para a nossa luta, também deveríamos debater a conjuntura educacional do nosso país, estado e de todo o mundo, deliberando resoluções e encaminhamentos que pudessem de fato ajudar a construir a nossa luta cotidiana, o que em regra não tem acontecido.
Mas o que todos nós nos perguntamos de fato é qual a contribuição concreta do Congresso Estadual do SINTEPP para a luta que lideramos todos os dias em nosso município?! Vamos fazer esta pergunta, caros filiados e coordenadores de subsedes de todo o nosso imenso estado?!
Nosso estatuto proíbe a participação de todas as subsedes não quites e de todas as subsedes que não contribuíram com a contribuição extra de três meses aprovada no Conselho Estadual de Representante. Esse entrave burocrático condena as subsedes que priorizaram a luta dos seus filiados, ou até mesmo aquelas subsedes que investiram na parte estrutural, tirando assim a subsede do aluguel e da falta de mobilidade.
Muitas subsedes são obrigadas a contratar advogados de forma particular, pois diante da dimensão do nosso estado e da falta de advogados contratados com o pouco arrecadado pelas Regionais, não há outra coisa a se fazer se não contratar, já que a categoria assim exige.
Participar do Congresso custa muito caro a todas as subsedes. Gastamos com a inscrição no valor de R$ 30,00 para cada delegado inscrito; com despesas de deslocamento; diárias e combustível. Isso tudo, quando somado as despesas estatutárias (que sem acordo somam 40%), deixa as subsedes praticamente inoperantes frente aos ataques ferozes dos Prefeitos em todo o Estado do Pará. Eles se organizam e constroem planos de carreira modelo para todos as prefeituras. Modelos estes que não representam valorização alguma para nós trabalhadores.
Por tudo isso, queremos registrar que a nossa subsede aprovou em reunião da Coordenação realizada no dia 01 de novembro de 2014, pela não participação do XXI Congresso Estadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado do Pará. Neste sentido, também nos solidarizamos com todas as subsedes que por questões financeiras não poderão participar do Congresso. Da mesma forma pedimos a todas as subsedes que assim como Marabá, optem pela não participação no Congresso. Nós poderíamos sim fazer o devido esforço para garantir a nossa participação, mas como bem explicamos acima, decidimos que o melhor seria contribuir para a luta verdadeira e cotidiana da nossa classe. Durante os dias 27, 28 e 29 de novembro, deveremos realizar um grande Seminário sobre Gestão Democrática na subsede de Marabá. Repassamos a todos que estejam interessados o convite, pois já realizamos eleições diretas para Diretor de Unidade de Ensino em praticamente 100% das escolas públicas municipais de Marabá, mas nossos gestores eleitos pela base e pela comunidade escolar estão sendo vítimas do assédio político de oportunistas e de assédio moral por parte da Secretaria de Educação.
Refletir sobre a nossa participação no Congresso, sobre as regras burocráticas pré-estabelecidas e sobre a postura de nossos dirigentes não significa em hipótese alguma que estamos colocando em “xeque” a competência e/ou a sabedoria de nossos dirigentes estaduais, mas tão somente que a postura assumida nos últimos anos tem burocratizado e engessado a luta da classe trabalhadora. 
Um bom Congresso a todos os congressistas.

A Coordenação