quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Reunião com vereadores avança e projetos da educação foram reformulados e devolvidos!

Caros filiados, 

Considerando impasse em relação as mudanças apresentadas pelo projeto de Lei número 37/2013, os vereadores decidiram a pedido do próprio Governo Municipal, retirar o projeto da pauta de votação. Com isso ganhamos mais tempo para analisar as proposta apresentadas pelo SINTEPP, SEMED e alguns Vereadores. Parte do que foi aprovado pela categoria na Assembleia do dia 18 de janeiro já estão garantidas, a saber: 

Diretor administrativo de escola de: 

Grande porte: 35% (Obs.: nossa proposta aqui era de 40%)
Médio Porte: 25% 
Pequeno Porte: 20% 
Micro porte: (Está sob análise)

Além disso, está quase fechado um consenso para se manter o vice diretor das escolas de grande porte, cujo mesmo deverá receber gratificação de 20%. 

O Governo também recuou em relação ao Mestrado e Doutorado e deciciu manter o que foi acordado na Mesa de Negociação, ou seja, 50% para Mestre e 75% para Doutor. O projeto de Lei continuará sendo o de número 70/2013, porém com esta respectiva alteração. Apesar da correta defesa de nossa categoria em relação a manter os percentuais anteriores, reforçamos a nossa categoria FILIADA que o problema não é nem de loge o mestrado e o doutorado. A partir da auditória da FOLHA DE PAGAMENTO, o governo já detectou que o Problema está na ESPECIALIZAÇÃO DE 25%. Porém o Governo foi avisado que qualquer mudança nesta diferença salarial significaria chamar os servidores para uma guerra. Até o momento está funcionando e não há nenhuma perspectiva de projeto de Lei que vise mudar nossa Especialização e o nosso Intertício de avaliação de Desempenho.
Estamos tentado marcar nova Assembleia Geral para o dia 15 de fevereiro, mas ainda não podemos confirmar por falta de local adequado. 

8 comentários:

Prof. Helena disse...

Pelo visto então, o nosso PCCR está com os dias contados, correndo o risco de ser lançado no lixo? no mar do esquecimento? Quer dizer que antes da construção dele não havia sido feito nenhum planejamento, nenhuma estimativa, projeção, nada...não foi levado em conta a quantidade de servidores, a probablidade desses servidores fazerem especialização, mestrado, nada? Olha Wendel, me desculpe mas tem alguma coisa errada nessa história. Essas mudanças estão mostrando que a intenção do PCCR foi apenas beneficiar uma minoria que já foi privilegiada, assim como os "iluminados". E pior, parece que o SINTEPP foi conivente com isso. Espero que esse comentário seja postado e que vcs nos dê explicações plausíveis sobre isso, porque são nossos representantes. O compromisso de vcs é com a nossa categoria e não com o João Salame, a menos que tenham o que esconder. Obrigado. Prof. Helena

Anônimo disse...

Na minha opinião o que está acontecendo é resultado da postura inicial do sindicato. Sinalizou a favor de redução de gratificações e de outros direitos do servidor, de extinção de cargos, que sabemos necessários, e o resultado é esse. Agora o governo quer fazer seus cortes e alardeia que tudo está sendo feito com o aval do sindicato. Acredito que se o sindicato fosse, desde o início, contra QUALQUER violação de direitos (conseguidos a tão duras penas) de QUALQUER servidor da educação, esses projetos nem chegariam à Câmara. MAS AINDA DÁ TEMPO! A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE!

Anônimo disse...

E o Coordenador pedagogico como ficou a situação deles????

Sabrina Lima disse...

E o Coordenador pedagogico como ficou a situação deles????

Anônimo disse...

E o Coordenador pedagogico como ficou a situação deles????

SINTEPP - SUBSEDE - MARABÁ disse...

Concordamos plenamente com nossos anônimos aqui, porém é bom que se diga mais uma vez que estamos todos na mesma situação. Para se ter uma ideia o SINTEPP está desde novembro do ano passado sem receber um centavo. Nossos servidores (quatro ao todo) estão desesperados! Estamos devendo oficina, posto, clínica reunidas, impostos patronais, tais como: INSS, FGTS e Confederativa dos nossos servidores, assessoria jurídica, assessoria contábil e a casa da piscina. Tudo isso sem falar em> rede celpa, telefone, internet, celular e cosampa. Estamos funcionando graças ao nosso sentimento de militância, pois queremos resolver os problemas!

Ressalto que o ano de mudança de governo é sempre complicado, não é possível para o SINTEPP iniciar as negociações já saltando com os pés pra cima da nova gestão. Estamos fazendo o possível para evitar um confronto direito, pois quando se há boa vontade para negociar as coisas avançam.
Estamos solidários a todos os nossos filiados e demais membros de nossa categoria, mas como vcs já perceberam toda o cenário político estrá contra nós! Por mais que não façamos greve, mas teremos que paralisar as nossas atividades por um princípio fundamental: O PRINCÍNPIO DA DIGINIDADE HUMANA!

Anônimo disse...

Wendel, sou de diretora e concordo plenamente com a eleição,porque já tem vereador como o Pedro Souza, mal assumiu, já colocou um dos seus que nunca atuou na educação infantil e lotou a mesma no N.E.I Fernando Pessoa, onde a coordenadora e professores estão pedindo para sair. A mesma se apresentou e já foi viajar disse que a serviço do vereador e do prefeito. Isso é uma ofensa a memória da nossa amiga Ray, que trabalhou com muita competência e sempre respeitou a comunidade.

Professora Regina disse...

Lembro-me claramente quando foi dito PELO SINDICATO que as porcentagens Referentes à especialização, mestrado e doutorado só poderiam ser creditados após o estágio probatório por não se tratarem de gratificações e sim incorporadas no salário e NINGUÉM PODERIA RETIRAR. E agora???? que decepção... agora é fácil dizer que o PROBLEMA não é o mestrado e o doutorado e sim a qualifficação, mas nesta não se pode mexer se não é o mesmo que declarar guerra aos servidores, pq? pq a maioria tem especialização? e nós q temos mestrado? td bem cortar pela metade tudo o que planejamos e esperamos tanto para conseguir?
O PROBLEMA É ESSE... CADA UM OLHANDO PARA SEU UMBIGO... NÃO SE DEVERIA ERA ABRIR MÃO DE NADA DO POUCO QUE CONSEGUIMOS POIS SÓ QUEM VIVE NO DIA A DIA EM SALAS DE AULAS LOTADAS, QUENTES, SEM MATERIAL PARA TRABALHAR, SENTE A DESVALORIZAÇÃO NA PELE QD NOS DEPARAMOS COM ATITUDES COMO ESTA...
MUITO INDIGNADA!!!
PROFª REGINA.